domingo, 13 de fevereiro de 2011

SAGA DOS DEUSES

                               Eulália M. Radtke

NÃO ME CENSURES
SE EU TE ESCREVO ROTO,RETORCIDO
                                       OU AMARRADO.

NÃO ME CONDENES
SE EU TE FAÇO DE ESTILHAÇOS      
DE ROSAS FENDIDAS,
SE NADA ADIANTAREI, NEM DOS MEUS
LÁBIOS SAIRÁ O AVISO, A PRESENÇA
OU A COMPREENSÃO.

NÃO ME JULGUES UM CATAVENTO
ALUCINADO.
CONTRÁRIA À DIREÇÃO DO VENTO,
NEM UMA SINFONIA DESESPERADA
-PRECIPITADA OU ENLOUQUECIDA-
DO ÚLTIMO REDUTO DOS INCAUTOS.

VENHO DE QUIETUDES INTRADUZÍVEIS,
DE MADRUGADAS DE FOGO E LENÇÓIS
                                             DESALINHADOS.

VENHO DE GOZOS E PALAVRAS
CAÍDA POR TERRA COMO UM FRUTO FARTO.

VENHO DA REALIDADE VISÍVEL,
DA DOR ADVINHADA
DE SÉCULOS DE GLÓRIAS E MILÊNIOS
                        DE ESQUECIMENTOS.

QUIS, TANTAS VEZES,
OBSERVAR O CONTRASTE DA DOR
NA ALEGRIA
E QUIS,SOBRETUDO,
ABRIGAR A MINHA FELICIDADE.
MAS AS PARTES ENTREGUES DA VIDA
CABEM NO ESPAÇO DE UMA PORTA
                                    ENTREABERTA.

DESEJEI VIVER O MÁXIMO POSSÍVEL
A MELODIA DAS FORMAS
E MINHAS ANGÚSTIAS NASCERAM
DO REENCONTRO DE CADA CORPO.

TENTEI SER O ESPLENDOR AOS PÉS
DA BELEZA,
NAS QUEIXAS,NO PRAZER ORA APARENTE
                                          ORA DISSIMULADO,

ARREBATADA E SUTIL,
-ESPÉCIE DE CANDURA GRAVE-VASTA E
                                                   BELA.

FERI COMO UM RAIO, DISTANTE E IMPENETRÁVEL,
A SENHA, OS DESÍGNIOS DA FERA ACUADA,
                                - ALINHA DE INSCRIÇÃO_
COMO O PRAZER E A DOR SE  FUNDEM E SE
                                                  ENTRECHOCAM
NA MESMA FACE COMO DUAS VAGAS NO MESMO ROCHEDO.

DESPREZEI O AMONTOADO DE LIXO
DOS FALSOS TESTEMUNHOS DA RAZÃO,
A CURIOSIDADE DE CONHECER
E A DECÊNCIA DE SE ACEITAR.

NUTRI-ME COM OS FRUTOS DA TERRA,
COMECEI A SENTIR-ME DEUS
SACRIFICANDO O SONO DE CADA REVOLUÇÃO
                                                     DOS  ASTROS

O ESPÍRITO DO JOGO EXIGE PERPÉTUO
DISFARCE
E A MÁSCARA SE TRANSFORMA NA PRÓPRIA
FACE,
COMO A PERSONGEM DE COMÉDIA
QUE AGUARDA O MOMENTO PROPÍCIO
DA DISSIMULAÇÃO ATRAS DO RESPOSTEIRO.

HOJE
NUM VÔO IRREVERENCIOSO,
QUANDO TUDO DEIXA DE SER LUXO
TORNANDO-SE UM RECURSO, UMA FORMA
                                                DE SOCORRO,
 CONTO(DESESPERADAMENTE) COM A ETERNIDADE
DA PEDRA,
E CONFESSO MEUS TEMORES E TIRANIAS
SENTINDO-ME ISENTA DE CRUELDADES E OUTRAS
TARAS HUMANAS.

HOJE, SOU TEOR
                   TEIA
                    TEAR E URDIDURA,
MEDIADORA DE HISTÓRIAS DE AMOR
MAIS LÚCIDA E INEVITAVELMENTE RUBRA
DIANTE DE TUAS VESTES ENCHARCADAS DE
                                             ESTRELAS.
E EM MINHAS CALENDAS ME RENDEREI
ESCRAVA E SEREI TÃO BELA AINDA,
COMO UMA FLOR REBELADA,
POIS OS TEUS GESTOS ÀS VEZES (AINDA)
                                                         DOEM.

MAS O PASSATEMPO DO CORPO,
O FOGO DE SARMENTO
ANUNCIANDO O IMPÉRIO DA EXISTÊNCIA
COM O INCRÍVEL VIGOR DE UM GAFANHOTO.

MAS SIM
A ÁGUA DA FONTE NO UNIVERSO MÁGICO
DAS VOLIÇÕES DOS DEUSES,
COMO UMA COLEÇÃO DE PEDRAS PRECIOSAS
NAS MÃOS NUAS DE UM COLECIONADOR.

-//-

SIM,
TEUS GESTOS ÀS VEZES (AINDA) DOEM.
MAS NEM TODAS AS MESAS SERVEM
                                    OS JANTARES DO MUNDO.

E SOMOS IRMÃOS DO SOL
E NASCEMOS SEM ANTEVER A NOITE

TEMOS MOTIVOS  PARA RECITAR
OS ANJOS
E RELÂMPAGOS TINGIDOS
SOBRE  AS NOSSAS CABEÇAS.

TEMOS REPENTES
            DÚVIDAS E RECESSOS,
DISTÂNCIAS ENTRE O CORPO E AS VONTADES,
A FRAGILIDADE DA TERNURA
E O AÇOITE DOS OLHOS EM NOSSOS VÔOS

CRIAMOS ROTEIROS PERVERTIDOS
DE SOMBRAS DEITADAS SOBRE A TERRA,
TRANÇAS ENTRE AS MÃOS, OS OLHOS E
AS PALAVRAS
E SABEMOS QUE OS RIOS GUARDAM UM SEGREDO.

-///-
NÃO ME JULGUES UM PÁSSARO
TORTO,
JULGA O VÔO QUE ESTE PÁSSARO
FAZ PARA CHEGAR A TI

E SEREMOS CARNE E OSSO.
SEREMOS O QUE EM TUA MAGIA
TRANSFORMA A CANÇÃO NO GRITO
                                        SAGRADO DO AMOR.

O MATIZ DE TUA VOZ QUE NÃO CESSE
AQUI NA TERRA SECA SOB OS MEUS PÉS
OUÇO CADA SÍLABA DOS TEUS SEGREDOS.

TUA LÁGRIMA,CABE SIM, NA MÉTRICA
DOS HOMENS,
TUA DOR TE REVELA OUTROS ESPAÇOS.

SÊ GUARDIÃO SE PRETENDES SER SENHOR.

DEIXA QUE TEU CHORO SE ESPALHE
QUANDO SE FIZER URGENTE E NECESSÁRIO.

TEU UNIVERSO TRANSPOSTO
EM TEU CORPO E SOM DE TUA FALA.

DEIXA ESCANDALOSAMENTE,
COMO UMA MANHÃ DE SOL SOBRE A MESA
DO MUNDO
OU UM GRANDE MAR-ESTE MONSTRO AZUL
                                               ONDE BEBEMOS SAL.

PRESERVAI ESTA GOTA DE CRISTAL
CHAMADA CORAÇÃO,
NO SILÊNCIO OPACO DAS NOITES E
                                       MANHÃS
A POESIA AINDA É POSSÍVEL E O
SONHO UM GUERRILHEIRO VIVO.

-IV-

OS DEUSES DISSIMULADOS DORMEM
E A IMPRUDÊNCIA É PONTA DE LANÇA
                                         DIFÍCIL TRAVESSIA,
-ETERNA DANÇA PÍRICA,TERRA INFORME
                                         E SEM FLAMA.

VAI,
TOURO AGONIZANTE,
CONHECER A IDENTIDADE
DO ARCO E DO ALVO,
UNGIR AS IMAGENS DO ANIMAL
QUE PROVOU O SANGUE E COMPREENDER
                                              OS DEUSES.

VAI, ARQUEIRO
COMO UM CULTO A SERENIDADE
NAVEGAR O ARMORIAL NO TRONO D'OURO
DA DINASTIA FAMILIAR
E, EM FORMAS DE FÁBULAS PLAUSÍVEIS
                                               DA PASSAGEM
                                               E DO REGRESSO.

CADA UM DEDICA-SE AOS SEUS PRÓPRIOS
DEUSES
DO ALCOVITEIRO ATÉ O HERMAFRODITE
CÉLEBRE, SOLITÁRIO E PURO
-O ENTENDIMENTO ACIMA DAS CONFISSÕES-
SEM RETICÊNCIAS, FIRME E ADMIRAVELMENTE
                                                    PLÁCIDOS.

UM HOMEM NÃO SE MOLDA COMO AÇO OU BRONZE
E A PAIXÃO POSSUI UMA ESPÉCIE DE
                                                          INOCÊNCIA,
COMO TODA A OFERENDA TEM UM SIGNIFICADO NAS
                                                         MESAS DE IMOLAÇÕES.

SE JÚPITER É O PAI DOS DEUSES,
A HUMANIDADE CONCEBEU SEUS DEUSES
EM TERMOS DE PROVIDÊNCIA
E A PROVIDÊNCIA ENCARNADA ENCERROU
O HOMEM NAS CORRENTES GELADAS E EXATAS.

OS FANÁTICOS E OS PUROS
                               -INATINGÍVEIS
                                E INCORPORAIS-
RELUTAM CONTRA A DOR COMO CONTRA
UMA GANGRENA
E CHORAM OS SEUS MORTOS APÓS ESQUECÊ-LOS.

OS SÁDICOS E OS TIRÂNICOS
FAZEM JUNTOS
E AMARÃO SEMPRE E SÓ A SI MESMOS.

OS LÚDICOS E OS SÁBIOS,
-FINOS COMO A PELE DE UM FRUTO-
OS TELÚRICOS E BAILARINOS,SENSATOS
                                                 E DOCES,
SE GUARDARÃO NA CONSTELAÇÃO DE LIRA,
-O GRANDE ASTRO POLAR DOS HOMENS QUE
VIVERÃO ALGUMAS DEZENAS DE MILHARES
DE ANOS.

-V-

ALGUNS GESTOS TEUS (AINDA ) DOEM
                                                E COMO DOEM....
E TUA ÁSPERA TERNURA,
TUAS TEMPESTADES RASANTES
E CONDESCENDÊNCIAS TROCISTAS
SÃO AS METÁFORAS DA FOME DE ÁGUIAS
                                                  VENCIDAS

DESPE-TE TAMBÉM
OH ÁGUIA E TOURO,
                            HOMEM E CISNE
                            FALO E CÉREBRO
SIMULTANEAMENTE NA MULTIPLICIDADE
DAS COISAS.

NÃO DE AS EXIGÊNCIAS DO SEXO
UMA RESPOSTA TÃO DEFINITIVA
QUANTO A DA MORTE.

O TEMPO SE FAZ ATROZ E ATOR
E O OSSO DO PUNHO É MENOS LIVRE
                                           QUE A CONSCIÊNCIA

nA LIBERADADE E NA SERVIDÃO
MORA, ÀS VEZES, O EGOÍSMO,
QUE PODE SER APROVEITADO PARA FINS
                                                  MAIS ÚTEIS.

COMPREENDA,
QUANDO CANTO A LIBERDADE
PRETENDO ALCANÇAR O PONTO EM QUE
A VONTADE SE ARTICULA COM O DESTINO,
ONDE DISCIPLINA SECUNDA A NATUREZA EM
LUGAR DE CONTÊ-LA

-VI-

DESPE-TE
            FEITICEIRO E ALDEÃO
MESMO SOB A EFÍGIE DE UM CESAR
OU AS ASA DE UM DANÇARINO.

COMO O CÁLICE À  SUA HASTE,
AMOR AINDA CABE NO AMOR

E A SEMENTE COM QUE VÊNUS FECUNDOU
O AMOR,
FEZ  OS SONHOS DE CALÍGULA, A TRIBUNA
DO CIRCO
E O RIGOROSO ESGRIMA DOS GLADIADORES
NAS QUAIS A FERA NÃO TEM OUTRA
                                         ALTERNATIVA.

CAVALOS NÃO SÃO BÁRBAROS.
NÃO SEREMOS DECLARADOS DIVINOS
SENÃO DEPOIS DE MORTOS, E SE DEUS
OBRIGA POSSUIR MAIS VIRTUDES QUE
                                                UM REI

A LUZ MUDA,
TORNA-SE DOURADA EM DIREÇÃO
                                      AO ZÊNITE
E EM TUA ARDÊNCIAS SECRETA E EM TUA
DESMEDIDA LOUCURA
ONDE TRANSITAS FECUNDO E GRANDE

SEJA REI
SÚDITO E CONSELHEIRO,
POVO EM OVAÇÃO
E TROMBETA NO ALTO DA TORRE,

MENDIGO NA PORTA DO REI
E SANGUE AZUL NOS SALÕES
DE FESTAS DO REI

SOLDADO DA CAVALARIA
COM ESPADAS E ESCUDOS
E O PLEBEU QUE MORRE E PERDE
NO CHÃO O SANGUE QUE NÃO É NOBRE,

O LUTADOR QUE MATA A FERA
E MORRE PELA VIDA DA FERA

O DANÇARINO E O PEIXE
NAS ESPUMAS FLUTUANTES
DAS GRANDES BANHEIRAS DO REI,

O ROMÂNTICO GLADIADOR
ATÉ O MAIS LÍRICO BOBO DA CÔRTE,

O MÁGICO
PARA ENCANTAR A RAINHA
E TIRAR DO FUNDO DAS MÃOS
O BRINQUEDO MAIS LÚDICO DA INFÂNCIA,

O POETA
DOS QUATROS CANTOS DO MUNDO
E ESCREVER NOS OLHOS
( ONDE SÓ OS ANJOS PODEM LER E GUARDAR)
QUE NOS CASTELOS DOS SONHOS
E NAS MANSÕES DE CRISTAL DA EXISTÊNCIA,
O AMOR AINDA É E SERÁ SEMPRE POSSÍVEL
E TÃO SONORO E BELO
COMO A QUIETA SINFONIA DOS VENTOS

(LIVRO LAVRA LÍRICA- ED. CULTURA EM MOVIMENTO-2000).

Nenhum comentário:

Postar um comentário